31/01/2013

Página 331



Eu sempre fui muito intensa com tudo aquilo que sinto, acho até, que essa intensidade em excesso desenvolveu algo em mim que sempre preza mais pelos detalhes, não que eu seja detalhista ao extremo, mas sou o tipo de pessoa que sempre vai lembrar ter alguma coisa que lembre outra coisa e assim por diante. Por exemplo, a comida cheirosa da minha avó, me faz lembrar o céu, não sei porque, é uma associação automática ou o que quer que chamem isso. Eu também lembro de todos os nomes dos meus amigos e inimigos que já tive. Eu sei todos os "Pedros" que partiram meu coração e sei todas as "Anas" que diziam ser minhas amigas. Pipoca e cinema me faz lembrar minha melhor amiga em casa assistindo TV. E você? Bom...

Você costumo lembrar da página 331.

Meus pais nunca puderam me dar todo os conforto que as outras garotas da faculdade em que eu era bolsista tinham. Eu nunca tive o celular mais moderno, ou a jaqueta de couro mais cara, para falar a verdade, até hoje eu uso o mesmo moletom cinza velho e fui ter meu primeiro celular somente aos 15 anos, e não morri por isso! Não os culpo por não poder me encher de luxo, eu vejo como eles se esforçam para fazer  o melhor por mim, e só o amor que eles me dão, é mais que suficiente.

Desde pequena, eu sempre fui á mesma livraria do centro da cidade. Quando era mais nova, ia apenas para admirar as enormes prateleiras abarrotadas de livros, sempre me perguntava se alguém, um dia, conseguiria ler todos os livros daquela livraria, bom, hoje não estou tão distante dessa realidade. Naquela época, o máximo que fazia, era colorir o livro das princesas.

9 anos depois. Todas as terças eu vou á livraria para ler o mesmo livro, o livro que tem a capa mais bonita da prateleira da esquerda. Esse livro tem 496 páginas, como não tenho dinheiro para comprá-lo, leio umas 3 páginas por terça e finjo que não estou nada interessada e vou folhear outra coisa. Ás vezes, tenho que parar na melhor parte para que o dono da livraria não me pegue em flagrante.

Em uma terça-feira do outono passado, eu estava perto de terminar o livro - finalmente - lá pela  página 300 e alguma coisa, estava no clímax do livro. Alucinante. Eu estava eufórica. O personagem principal estava para revelar o segredo que escondeu desde a página 1. Até que... Faltava a página 331, justo a que ele ia contar! Fui reclamar no caixa da livraria, disse (aos berros) que eles não poderiam "me vender" um livro com uma página faltando. O que eles fizeram com a página? Traficaram? Engoliram?

Até que o inesperado.

O filho do dono da livraria, mais ou menos da minha idade, que trabalhava no caixa, sorriu. E me olhou com aqueles olhos cor de oceano e disse:

"Esse, é o único exemplar na cidade, está aqui, nesta livraria há pelo menos 11 anos. Eu o li há uns 6 anos... Cheguei ao fim primeiro que você pelo visto! Oh, deixe me explicar: Noto que todas as terças, desde o verão de 2004 você vem até aqui para ler esse livro e devo alertá-la que a senhorita demorou um bocado para chegar nesta página... "

(Eu estava furiosa, queria matá-lo á "livradas").

Ele continuou: "Enfim, se quer mesmo saber qual é o segredo do Dimitri, você vai ter que comprar o livro, não pode ler o livro todo aqui sem pagar nada! Aproveite, este livro está na promoção... Hoje sai por... R$ 10,99!"

Olhei para o livro, e desde muito tempo, o que estava na etiqueta era "R$ 49,90", talvez hoje realmente fosse o dia da promoção, porém, os R$ 20,00 que estavam no meu bolso eram para comprar meu lanche na saída da faculdade, então, o meu grande dilema era: Comer ou ler? É claro que ficar sem comer um dia não mataria ninguém e se eu não lesse aquela página 331, provavelmente eu "morreria", pois não ia nunca mais poder voltar naquela livraria.

Comprei.

Ao chegar em casa, tirei o livro da sacola e uma folha caiu no chão, ela estava dobrada ao meio. Certamente seria a página 331, e ela estava ali o tempo todo no meio do livro e ele me enganou só para ganhar R$ 11,00! Abri a folha com cautela, estava louca para descobrir o segredo do livro, mas também, estava furiosa com o filho do dono da livraria! Ao abrir, a folha estava quase por inteiro branca, mas no fim, com uma caligrafia maravilhosa estava escrito:

"Quer jantar comigo, hoje?
(pág. 331)"

Li a página 330 diversas vezes, e não fazia sentido aquilo na página 331, que á propósito, no verso tinha um número de telefone. Tinha certeza que era daquele sínico que me fez comprar esse livro. Liguei.

Mal sabia eu, que aquele telefonema mudaria o rumo da minha vida.

Hoje, 331 dias depois daquele jantar - não que eu tenha contado, é que todos os dias, escrevo uma página do nosso livro - e hoje, é a página 331, a página do nosso casamento. Nunca descobri o segredo daquele livro, porém, o nosso, descubro dia á dia, página por página. Na página de hoje:

"E viveram felizes para sempre...
 (pág. 331)".


2 comentários:

bela* disse... [Responder comentário]

Nossa!!! muito bom! Foi você quem escreveu?

Elisandra Fernandes disse... [Responder comentário]

Foi siiim *-*

Que bom que gostou *-*

Super beijo Bela ♥

Postar um comentário

Olá, você gostou desse post? Comente, é muito importante para nós da Equipe Just Now! ♥