26/12/2012

Sobre 2012, mudanças, futuro, amor e outras bobagens

foto por Jenifer Magalhães

Ontem, eu não precisava me preocupar com o que eu queria ser quando crescer. E hoje, tenho que, além de escolher meu futuro todo, correr com as minhas próprias pernas para alcançá-lo. Eu já não posso mais segurar na mão da minha mãe e pedir para ela me guiar. Agora a escolha é somente minha.

"Eu cresci".

Há exatamente um ano, eu só pedia para que o ano novo chegasse logo e levasse toda aquela dor do meu coração. Há exatamente um ano, meu único problema se chamava "amor". Hoje eu paro e penso: Como eu fui idiota, acreditava nesse tal amor e hoje, nao faz diferença alguma. Se tem uma coisa que eu aprendi nesse um ano, é que, o tempo cura qualquer dor.

Ou melhor, fez parar de doer.

Não sei se as pessoas me veem da mesma forma que há algum tempo atrás, de uns meses para cá, não sei porque, mas não consigo encontrar aquela mesma maluca brincalhona de 2010, tenho muito medo de que ela tenha se perdido dentro de mim. O que reflete no espelho é um garota com escolhas importantes a se fazer, mas com medo de deixar tudo o que foi vivido até aqui para trás. O seus olhos não tem mais o mesmo brilho dos olhos de uma criança e seu sorriso agora é sério.

Antes, quando as pessoas falavam sobre futuro, eu dava as costas, afinal, o que estava consideravelmente distante para eu me preocupar. Mas não estava. Esse futuro que estava tão distante, na verdade, estava batendo na porta, estava me tirando as noites de sono e estava estampado onde quer que eu fosse.

Eu só não queria enxergar.

Estava colocando meu 2012 "em uma balança", e vi como tudo mudou (não, não foi só o cabelo que cresceu), mas o que mais mudou em mim, foi o jeito de ver a vida, não foi uma mudança fácil (eu não acordei com esse pensamento de um dia para o outro), foi uma coisa que eu fui percebendo com os erros, é sim, os erros, aprendi a não ter medo de errar, porque é com eles que mais se aprende!

Sabe a tal da felicidade que você grita para Deus e o mundo que você tanto almeja? Você já "se deixou ser feliz"? Não estou falando de você querer ser feliz, mas sim, se deixar ser feliz, você tem que acreditar na felicidade para que ela possa acontecer, você tem que fazer aquilo que te deixa feliz para ficar feliz, não ao contrário e depois ficar buscando a felicidade.

E o amor? O amor não aparece como em filmes, daquele jeito todo cinematográfico de ser, que quando o cara certo aparece, cai uma chuva de pétalas de rosas vermelhas (brega?), ou então saem fogos de artifício do chão (exagerado?) muito menos, você vai encontrar o cara certo quando você não estiver pronta, quando estiver louca procurando! Você até pode encontrar alguém que te faz "feliz" mas com certeza, é o cara errado. Amor, acredito eu, acontece quando a gente só está bem consigo mesma, não estou falando bem no sentido de passar um batom vermelho e um rímel poderoso, mas sim, quando você está bem por dentro, é o que reflete para as pessoas. E é o que as conquista também.

Espero que pouca gente tenha notado as grandes mudanças que aconteceu dentro de mim durante esse 2012, até porque a melhor mudança que acontece não é quando você emagrece e as pessoas repetem "nossa, como você está magra, muito melhor do que antes!" as pessoas só reparem em mudança física, você faz isso e eu também. Mas a melhor mudança, é aquela que só você percebe, é aquela que vocês está bem consigo mesma e não precisa contar para ninguém. Não importa se você mudou ás pressas ou aos poucos, o que importa é o que te fez mudar, e eu torço, mas torço mesmo, que o maior motivo para suas mudanças, seja você mesmo.

Não vale á pena mudar pelas pessoas.


2 comentários:

Rafa Monteiro disse... [Responder comentário]

Falou tudo, a mudança mais importante é que fizemos por nós mesmo!

FELIZ 2013!

Beijos mulher antenadíssima ♥♥♥♥

Elisandra Fernandes disse... [Responder comentário]

Obrigada e para você tbm ♥

Postar um comentário

Olá, você gostou desse post? Comente, é muito importante para nós da Equipe Just Now! ♥